Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Educar      Família      
Home > O Evangelho
Esquecimento do passado (Estudo 19 de 135)

       

-------------------------------------------------------------------
EESE019b - Cap. V - Item 11
Tema: Esquecimento do Passado
-------------------------------------------------------------------

A - Texto de Apoio:

* Em vao se objeta que o esquecimento constitui obstaculo a que se possa
aproveitar da experiencia de vidas anteriores. havendo Deus entendido de
lancar um veu sobre o passado, e' que ha' nisso vantagem. Com efeito, a
lembranca traria gravissimos inconvenientes. Poderia, em certos casos,
humilhar-nos singularmente, ou, entao, exaltar-nos o orgulho e, assim,
entravar o nosso livre-arbitrio. Em todas as circunstancias, acarretaria
inevitavel
perturbacao nas relacoes sociais.

* Frequentemente, o Espirito renasce no mesmo meio em que ja' viveu,
estabelecendo de novo relacoes com as mesmas pessoas, a fim de reparar o mal
que lhes haja feito. Se reconhecesse nelas as a quem odiara, quica' o odio
se lhe despertaria outra vez no intimo. De todo modo, ele se sentiria
humilhado em presenca daquelas a quem houvesse ofendido.

* Para nos melhorarmos, outorgou-nos Deus, precisamente, o de que
necessitamos e nos basta: a voz da consciencia e as tendencias instintivas.
Priva-nos do que nos seria prejudicial. Ao nascer, traz o homem consigo o
que adquiriu, nasce qual se fez; em cada existencia, tem um novo ponto de
partida. Pouco lhe importa saber o que foi antes: se se ve punido, e' que
praticou o mal. Suas atuais tendencias mas indicam o que lhe resta a
corrigir
em si proprio e e' nisso que deve concentrar-se toda a sua atencao,
porquanto, daquilo de que se haja corrigido completamente, nenhum traco mais
conservara. As boas resolucoes que tomou sao a voz da consciencia,
advertindo-o do que e' bem e do que e' mal e dando-lhe forcas para resistir
'as tentacoes.

* Alias, o esquecimento ocorre apenas durante a vida corporea. Volvendo 'a
vida espiritual, readquire o Espirito a lembranca do passado; nada mais ha,
portanto, do que uma interrupcao temporaria, semelhante 'a que se da' na
vida terrestre durante o sono, a qual nao obsta a que, no dia seguinte, nos
recordemos do que tenhamos feito na vespera e nos dias precedentes.

* E nao e' somente apos a morte que o Espirito recobra a lembranca do´
passado. Pode dizer-se que jamais a perde, pois que, como a experiencia o
demonstra, mesmo encarnado, adormecido o corpo, ocasiao em que goza de certa
liberdade, o Espirito tem consciencia de seus atos anteriores; sabe por que
sofre e que sofre com justica. A lembranca unicamente se apaga no curso da
vida exterior, da vida de relacao. Mas, na falta de uma recordacao exata,
que lhe poderia ser penosa e prejudica-lo nas suas relacoes sociais, forcas
novas haure ele nesses instantes de emancipacao da alma, se os sabe
aproveitar.

B - Questoes para estudo e dialogo virtual:

1 - Por que o homem se esquece de suas vidas anteriores?

2 - Poderiam as lembrancas das existencias anteriores dificultar o nosso
relacionamento social?
  Conclusão deste estudo 
1998-2015 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo