Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Educar      Família      
Home > A Gênese
Papel da ciência na Gênese (ítens 6 a 12) (Estudo 25 de 136)

       


1.- A Bíblia narra fatos que hoje, com o desenvolvimento da ciência, a razão os rejeita e, outros, que derivam de
costumes que já não são os nossos. Apesar disso, traz belas imagens e alegorias que, penetrando-se no âmago
do pensamento ali expresso, verifica-se que não constitui nenhum absurdo.

2.- As interpretações cuja impossibilidade a ciência veio demonstrar devem-se à falta de conhecimentos trazidos
somente mais tarde pela ciência e pelo princípio da imutabilidade absoluta da fé, imposto à época, o que levaram a
uma leitura cega da letra. Como todas as crenças baseavam-se na gênese, temia-se que, uma vez questionada a
base, todo o restante viesse a ser comprometido.

3.- Com o desenvolvimento da ciência, ficaram demonstrados os erros da gênese moisaica e a impossibilidade
material de terem as coisas se passado como estão ali narradas. Em conseqüência, a ciência também desferiu um
fundo golpe nas crenças seculares, afetando a fé ortodoxa, que se baseava na obrigatoriedade da aceitação sem se
observar a razão.

4.- Objeta-se a ação da ciência com o argumento de que, sendo a Bíblia uma revelação divina, Deus teria, então,
se enganado. Não sendo uma revelação divina, a gênese careceria de autoridade e a religião, que tem nela a sua
base, se desmoronaria. Sendo, porém, Deus, todo verdade, não induziria o homem a erro, pelo que somente
podemos concluir que ele não pronunciou as palavras como ali se acham escritas ou que elas foram entendidos em
sentido oposto ao que lhes é próprio.

5.- A ciência tem por missão descobrir as leis da Natureza, que, sendo obras de Deus, não podem ser contrariadas
pelas religiões. Desconhecer o progresso para preservar determinadas religiões é ofender as leis de Deus, além de
inútil, pois não se conseguiria obstar que a ciência avance e a verdade surja. As religiões que temem as descobertas
da ciência fazem uma idéia mesquinha da Divindade, não compreendendo que assimilar as leis da Natureza que a
ciência revela é glorificar a Deus em suas obras.

6.- A ciência tem se limitado à pesquisa das leis que regem a matéria, compreendendo o mecanismo do Universo e
do organismo humano. Sobre esses pontos pode completar a Gênese de Moisés, retificando-lhe as partes equivocadas.
Com relação ao ser espiritual, porém, a ciência ainda não dominou as leis que regem as suas relações, limitando-se a
formular sistemas contraditórios por intermédio da Filosofia, que vão desde a mais pura espiritualidade até a negação
do princípio espiritual e até de Deus.

7.- A questão espiritual, no entanto, é a mais importante para o homem, pois lhe importa saber de onde ele veio e para
onde ele vai. A do mundo material apenas indiretamente o afeta, pois é temporária.


QUESTÕES PARA ESTUDO

a) Como Kardec explica o fato de a Gênese bíblica ter sido aceita como verdadeira por tantas religiões?

b) Por que os equívocos nela existentes e que foram expostos pela ciência não podem ser interpretados como
contestação aos atributos da Divindade?

c) Pelo que se viu, é possível a coexistência da religião com os avanços da ciência?

  Conclusão deste estudo 
1998-2015 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo