Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Educar      Família      
Home > A Gênese
Encarnação dos espíritos - 3ª parte (itens 28 a 32) (Estudo 75 de 136)

       

1.- Quando os Espíritos adquiriram em um mundo a soma de progresso que comporta o estado daquele mundo, eles o deixam para reencarnar em outro mais adiantado, onde adquirem novos conhecimentos até o ponto em que já não precisarão mais de uma corpo material, passando a viver exclusivamente na vida espiritual na qual progridem ainda em um outro sentido e por outros meios.

2.- Ao chegar ao ponto máximo do progresso, passam a gozar da suprema felicidade e tornam-se mensageiros de Deus para o governo dos mundos. Assim todos os Espiritos, encarnados e desencarnados em qualquer grau de evoluçao em que se encontrem desde o menor até o maior, tem suas atribuiçoes no grande mecanismo do Unirverso.

3.- A coletividade dos Espiritos é de alguma forma, a alma do Universo. É o elemento espiritual que age em todas as partes, sob o impulso do pensamento divino. Pela ação do elemento espiritual individualizado, tudo tem uma finalidade, uma razão de ser.

4.- Os Espiritos humanos ocuparam a Terra quando esta se encontrou com condições climáticas para recebe-los. De onde eles vieram? Deixemos de lado a questao insoluvel (por enquanto) e tomemos o Espirito no momento em que se manifestam nele os primeiros germens do livre arbítrio e do senso moral.

5.- Os primeiros homens deviam ser pouco adiantados o que os fazia encarnar em corpos muito imperfeitos e devia haver entre eles diferenças sensiveis nos seus caracteres e aptidões. Os Espiritos se agruparam com semelhança ou seja pela analogia e pela simpatia. A Terra achou-se povoada por diferentes categorias de Espiritos, mais ou menos aptos ou rebeldes ao progresso.
Os corpos recebem a característica do Espirito, e esses corpos se procriam segundo seu tipo respectivo daí resultando diferentes raças, tanto no físico como no moral.

6.- Pode-se comparar os Espíritos que vieram povoar a Terra a grupos de imigrantes de origens diversas que vão se estabelecer em uma terra virgem. Se agrupam pela analogia de origens e de gostos e acabem por formar tribos cada qual com seu costume e seu carater próprio.

7.- O progresso nao foi uniforme em toda a espécie humana, algumas raças progrediram mais que outras. Espíritos recentemennte nascidos na vida espiritual vindo a se encarnar na Terra tornam mais sensiveis a diferença do progresso.

8.- .Esses Espíritos de selvagens, entretanto, pertencem tambem a humanidade; atingirão um dia o nivel de seus irmãos mais velhos, mas certamente isso nao se dará no corpo da mesma raça física, impróprio a um certo desenvolvimento intelectual e moral. Quando estiverem mais evoluidos encarnarão em um grau superior até que hajam conquistado todos os graus terrestres, deixando este planeta para passar a mundos mais adiantados.




QUESTÕES PARA ESTUDO


a) Por que o espírito não encarna sempre no mesmo planeta?

b) São intermináveis as encarnações do espírito?

c) Como se iniciou a povoação da Terra?

d) Como surgiu a diversidade de raças e povos na Terra?

e) Segundo Kardec, foi uniforme o progresso da espécie humana?
  Conclusão deste estudo 
1998-2015 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo