Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Educar      Família      
Home > A Gênese
Catalepsia - Ressurreições (itens 29 a 30) (Estudo 96 de 136)

       

R E S U M O


1.- O fluido perispirítico, embora insensível como a matéria, transmite a sensação ao centro sensitivo, que é o espírito.
As lesões dolorosas do corpo repercutem, pois, no espírito, qual choque elétrico, por intermédio do fluido perispiritual,
que parece ter nos nervos os seus fios condutores.

2.- A interrupção da sensação pode se dar pela separação de um membro ou pela secção de um nervo, mas, também, parcialmente ou de maneira geral e sem nenhuma lesão, nos momentos de emancipação, de grande sobreexcitação
ou de preocupação do espírito. Nesse estado, o espírito não pensa no corpo e, em sua febril atividade, atrai a si, por
assim dizer, o fluido perispiritual que, retirando-se da superfície, produz aí uma insensibilidade momentânea.

3.- Poder-se-ia também admitir que, em certas circunstâncias, no próprio fluido perispiritual opera-se uma modificação
molecular, que lhe tira temporariamente a propriedade de transmissão. É o que ocorre, muitas vezes, com um militar
no ardor do combate e com uma pessoa, cuja atenção se acha concentrada num trabalho. Efeito análogo, porém mais pronunciado, verifica-se com alguns sonâmbulos, na letargia e na catalepsia.

4.- Em certos estados patológicos, quando o espírito há deixado o corpo e o perispírito só por alguns pontos se lhe
acha aderido, apresenta o corpo todas as aparências da morte e enuncia-se uma verdade absoluta, dizendo que a vida
aí está por um fio. Semelhante estado pode durar mais ou menos tempo. Podem mesmo algumas partes do corpo
entrar em decomposição, sem que, no entanto, a vida se ache definitivamente extinta.

5.- Enquanto não se haja rompido o último fio, pode o Espírito, quer por uma ação enérgica, da sua própria vontade,
quer por um influxo fluídico estranho, igualmente forte, ser chamado a volver ao corpo. É como se explicam certos
fatos de prolongamento da vida contra todas as probabilidades e algumas supostas ressurreições. Quando, porém, as
últimas moléculas do corpo fluídico se têm destacado do corpo carnal ou quando este último há chegado a um estado
irreparável de degradação, impossível se torna todo regresso à vida.



QUESTÕES PARA ESTUDO

a) Sendo a matéria insensível, como se explica a sensação de dor física?

b) É possível ocorrer lesões dolorosas no corpo físico sem a sensação de
dor?

c) Como podemos definir a catalepsia e as chamadas ressurreições?

d) Qual a explicação para a ocorrência desses fenômenos?

  Conclusão deste estudo 
1998-2015 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo