Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Educar      Família      
Home > O Livro dos Espíritos
As virtudes e os vícios (2a. parte) (Estudo 156 de 193)

       

a) Devemos sempre que possivel, minorar o sofrimento de nossos semelhantes. Acumular riquezas somente para satisfacao pessoal, nao nos trará a felicidade espiritual e estaremos deixando de cumprir um ato de solidariedade que nos traria a verdadeira alegria.

b) Precisamos vigiar para nao sermos avarentos, gastando muito conosco e esquecendo que o egoismo para com o nosso proximo é um grande defeito. Aquele que é avarento com os outros e consigo mesmo, este está acumulando tesouros na Terra, e por essa razao sofre já a sua pena, pois é infeliz e vive com receio de ser roubado ou estorquido e nao convive, nao tem amigos, se isola e é infeliz.

c) A verdadeira riqueza vem daquele que daquilo que tem, tira sempre alguma coisa para ajudar a quem está mais necessitado do que ele.

d) Procuremos desenvolver nossas virtudes. Para cada virtude conquistada há sempre um vicio que foi derrotado. Troquemos a mesquinhez pela generosidade, o orgulho pela humildade, a dureza de palavras pela docilidade. Procuremos sempre no outro as suas virtudes e nao os seu defeitos. Revelar o mal alheio publicamente, muitas vezes é somente para produzir um escandalo, e isto na maioria das vezes, revela somente maus exemplos.

e) É preciso que haja sim a pregacao da moral, mas ela deve vir acompanhada de exemplos, para que tenha algum efeito.

f) Ao vencer seus vicios e fazer o bem o homem nao pode se vangloriar disso, pois entao estaria jogando por terra todas as suas conquistas visto que estaria se envaidecendo de seus atos e entao estaria comentendo outra falta.




QUESTÕES PARA ESTUDO E PARTICIPAÇÃO:

1 - Muitas vezes pedimos a Deus que gostariamos de ser ricos para poder ajudar o proximo. Será que nossas intencoes sao essas mesmo? De posse de uma fortuna será que nao nos esqueceremos de nossas intencoes?

2 - Aquele que acumula riquezas dizendo que será para uma velhice tranquila e tambem para que seus herdeiros nao fiquem desamparados está agindo corretamente?

3 - Vamos refletir sobre esta frase de Jesus: "Vê um cisco no olho de seu vizinho e nao vê uma trave no seu".

4 - Como devemos proceder diante dos males da sociedade?

5 - Podemos ou devemos julgar os outros, ou mesmo estudar os defeitos de nossos semelhantes?

  Conclusão deste estudo 
1998-2015 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo