Espiritismo Educação Recursos Ajuda Serviços
Estudos
Salas de Estudo      O Livro dos Espíritos      O Evangelho      A Gênese
O Livro dos Médiuns      Série André Luiz      Educar      Família      
Home > O Livro dos Espíritos
Natureza das penas e gozos futuros - 4a. parte (Estudo 175 de 193)

       

a) Para a alma já purificada, a lembrança das faltas que, quando imperfeita, tenha cometido não lhe turba a
felicidade, porque as resgatou e saiu vitoriosa das provas a que se submeteu para esse fim.

b) Para a alma ainda maculada, as provas por que ainda tenha de passar para acabar a sua purificação lhe
causa penosa apreensão. Para aquela que já se elevou, porém, as provas que ainda haja de sofrer nada tem
de penoso.

Comentário de Allan Kardec:

Goza da felicidade a alma que chegou a um certo grau de pureza. Domina-a um sentimento de grata
satisfação. Sente-se feliz por tudo o que vê, por tudo o que a cerca. Levanta-se-lhe o véu que encobria
os mistérios e as maravilhas da Criação e as perfeições divinas em todo o esplendor lhe aparecem.


c) Os espíritos entre os quais há recíproca simpatia para o bem encontram na sua união um motivo de gozo.
Formam famílias pela identidade de sentimentos, consistindo nisto a felicidade espiritual, do mesmo modo
que, na Terra, os espíritos em evolução se grupam em categorias afins.

Comentário de Allan Kardec:

Das primícias dessa felicidade goza o homem na Terra, quando se lhe deparam almas com as quais
pode confundir-se numa união pura e santa. Em uma vida mais purificada, inefável e ilimitado será
esse gozo, pois aí ele só encontrará almas simpáticas, que o egoísmo não tornará frias. Porque, em a
Natureza, tudo é amor: o egoísmo é que o mata.

d) Dentre os homens, pode ser grande a diferença sobre o modo de encarar a morte. São esses sentimentos
em relação à morte que influem no estado do espírito. Naquele que deseja a morte unicamente porque a vê
como termo de suas tribulações, há uma espécie de queixa contra a Providência e contra as provas que lhe
cumpre suportar.

e) Só o bem assegura a sorte futura, qualquer que seja o caminho que a ele conduza. Não apenas aos que
professam o Espiritismo está assegurada a sorte na vida futura, pois, se assim fosse, esta estaria sendo negada
aos que não crêem ou aos que não tiveram ensejo de esclarecer-se.

Comentário de Allan Kardec:

A crença no Espiritismo ajuda o homem a se melhorar, firmando-lhe as idéias sobre certos pontos do
futuro. Apressa o adiantamento dos indivíduos e das massas, porque faculta nos inteiremos do que
seremos um dia. É um ponto de apoio, uma luz que nos guia. O Espiritismo ensina o homem a
suportar as provas com paciência e resignação; afasta-o dos atos que possam retardar-lhe a felicidade,
mas ninguém diz que, sem ele, não possa ela ser conseguida.


QUESTÕES PARA ESTUDO:

1. Como pode o espírito já purificado conviver com as faltas cometidas no passado, sem que esse fato venha
a lhe causar sofrimento?

2. Somente ao atingir a evolução máxima possível poderá o espírito gozar de felicidade?

3. Qual a contribuição que o Espiritismo pode dar ao homem no sentido de ajudá-lo a alcançar a felicidade
futura na vida futura?

4. Afinal, em que consiste a felicidade futura?


  Conclusão deste estudo 
1998-2015 | CVDEE - Centro Virtual de Divulgação e Estudo do Espiritismo